Discurso de Inauguração da Horta das Corujas

Por Claudia Visoni

Em nome dos voluntários da Horta das Corujas, desejo boas vinda a todos. Amigos, familiares, vizinhos, hortelões, jornalistas, autoridades.

Hoje estamos realizando um sonho: inaugurar uma horta comunitária nesse oásis verde de São Paulo que é a Praça das Corujas.

Não que a horta esteja pronta. Como vocês podem ver, há montes de terra e muita área ainda sem cultivo. A horta só estará madura daqui a alguns anos e talvez nunca fique pronta. Isso porque é uma característica dos seres vivos estar sempre em transformação.

No dia 14 de julho de 2012 nos reunimos aqui pela primeira vez e só havia uma área descampada e uma composteira. Éramos cerca de 20 pessoas empolgadas com a ideia de trabalhar numa horta urbana.

Mas essa história começou meses antes, nas conversas do grupo Hortelões Urbanos. Vários membros manifestaram o desejo de cultivar alimentos coletivamente e aqui estamos hoje.

Felizmente, tivemos ótima receptividade do Conselho Municipal do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (CADES) da Subprefeitura de Pinheiros, da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente e, em especial, da cidadã Madalena Buzzo, conselheira do CADES e a mais animada dos voluntários da horta.

Agradecemos sobretudo ao Coronel Sérgio Teixeira Alves, subprefeito de Pinheiros, o imediato apoio ao nosso projeto.

Projeto? Mais parecia uma loucura.

Afinal, há dois meses todos os finais de semana abandonamos por algumas horas nossos companheiros, filhos e amigos para mexer na lama e pegar na enxada.

Já temos um pouco par mostrar. E daqui a alguns minutos vocês poderão passear entre os canteiros e ver como crescem fortes as couves, manjericões, alecrins, cebolinhas, berinjelas, tomates e taiobas que plantamos, entre várias outras espécies.

Mas o que acontece aqui vai muito além do plantio. Estamos juntando conhecimentos ancestrais e o poder de pesquisa e mobilização proporcionado pela internet. Estamos fortalecendo os laços entre os moradores da região. Estamos fazendo novos amigos. Estamos reaprendendo o valor do trabalho braçal e deixando esse lugar mais acolhedor e cheio de vida.

Enquanto plantamos sementes e mudas de hortaliças, plantamos também nosso investimento numa sociedade mais sustentável e menos competitiva.

Já percebemos que a vocação da Horta das Corujas é ser um espaço de educação ambiental prática e de disseminação de ideias para um mundo melhor.

Convidamos vocês a participar da maneira que acharem melhor. Vindo nos visitar. Acompanhando nosso blog e nosso grupo no Facebook. Dando sugestões. Envolvendo seus filhos ou alunos em atividades agroecológicas. Germinando sementes e preparando mudas em casa. Doando adubo orgânico. Ajudando a cuidar desse espaço. E, é claro, vindo trabalhar na roça conosco se desejarem.

Obrigada pela atenção e passo a palavra para Madalena Buzzo.

Anúncios
Esse post foi publicado em História, Horta, Informação, Relato. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s