Hortas urbanas produzem de couve a feijão a poucos metros do asfalto

Folha de São Paulo, 29/05/2013, por Gustavo Simon e Thiago Mattos

[…] Além de receber ajuda em mutirões semanais, os voluntários fazem parte de um grupo que cuida de outras hortas comunitárias na cidade, os Hortelões Urbanos. O grupo se formou pouco antes da criação da horta das Corujas, que ocupa 800 m2 da praça Dolores Ibarruri, na Vila Beatriz. Isolado do conglomerado urbano por árvores, o espaço é o mais bem organizado desse movimento. Antes de começar a plantar, os voluntários da horta das Corujas bancaram análises do solo e da água. E um documento define diretrizes para a manutenção.

Horta das corujas, na Vila Beatriz, zona oeste de São Paulo.

Foto: Karime Xavier/Folhapress

Os canteiros foram protegidos por uma cerca baixa, para evitar a circulação de animais -mas sem cadeado, para que os interessados circulem livremente. Uma placa informa regras como a proibição do cultivo de árvores frutíferas (propícias para a formação de arbustos) e as datas de mutirões. O que é cultivado ali vai para a mesa de muita gente do bairro. “Nunca tinha comido um feijão que eu tinha plantado. Sentei para debulhar com a minha filha e foi muito gostoso”, conta a jornalista Claudia Visoni, 47, uma das envolvidas na iniciativa. A colheita não tem regras definidas, mas o dia a dia desses espaços leva a sério a ideia de comunitário.

Leia muito mais…

Imagem: Editoria de Arte/Folhapress
Anúncios
Esse post foi publicado em Horta na Mídia. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s