Perguntas Frequentes

Por que uma horta na Praça das Corujas?

Para que serve uma horta comunitária?

Por que escolheram aquele canto da praça para fazer a horta?

Quem é o organizador?

Então com quem eu posso falar?

Como vocês fazem para manter as coisas sob controle?

Pode plantar em praça pública?

Quem está cuidando da horta?

Que água está sendo usada para regar? Ela é boa?

Como é o solo onde está sendo plantada? É bom?

Trata-se de uma horta orgânica?

Qualquer um pode vir colher?

Posso ajudar? Como? Quando?

Tem perigo de encher de bichos e mosquitos?

De onde vem o dinheiro do projeto?

RESPOSTAS

Por que uma horta na Praça das Corujas?

Uma horta comunitária urbana em um espaço público é um sonho. Um sonho de ver uma cidade mais humana, na qual as pessoas convivem e produzem juntas, os vizinhos se conhecem e cooperam uns com os outros. Um sonho de imaginar um planeta sem escassez de comida, pois todo lugar é bom para plantar (imaginem se todos plantassem em suas casas, janelas, varandas, telhados?). A Praça das Corujas é um lugar privilegiado na cidade de São Paulo, com espaço, terra, água e sol abundantes, uma área que pode receber tudo isso, e gente disposta a trabalhar.

Para que serve uma horta comunitária?

Além de ser um espaço de convívio, a Horta das Corujas se pretende também um espaço educativo. Queremos aprender e ensinar. Como se planta em uma metrópole, como se reduz a quantidade de lixo na cidade? Queremos convidar nossos conterrâneos, cidadãos urbanos, a experimentar a terra, de maneira sustentável, prazerosa, produtiva. Aprender a compostar, a fazer mudas, aprender sobre o tempo das plantas e da vida, aprender a cuidar, aprender que plantas combinam com que plantas, aprender que todos somos capazes de produzir e de mudar o mundo para melhor… Queremos compartilhar nosso aprendizado com as crianças das escolas do entorno, convidando-as a participar do projeto.

Por que escolheram aquele canto da praça para fazer a horta?

O local escolhido para a horta tem várias vantagens. É um dos espaços menos utilizados pelos frequentadores da praça, pois há ali um olho d’água que cria um grande lamaçal. E numa praça pública, onde não há torneiras, isso veio bem a propósito, pois precisamos de uma fonte de água para regar as hortaliças. Além disso a insolação da área é boa e é perto de uma das entradas.

Quem é o organizador?

Não existe um organizador ou uma entidade organizadora. As pessoas que estão trabalhando para o sucesso da horta são principalmente moradores da Vila Madalena, Vila Beatriz e Alto de Pinheiros. Voluntários apaixonados que se encontram inicialmente através do Movimento Hortelões Urbanos, pela Internet. Dividimos as tarefas entre nós e nos organizamos juntos para o trabalho. É um processo democrático contínuo e intenso.

Então com quem eu posso falar?

Entre em contato conosco pelo e-mail hortadascorujas@gmail.com, ou deixando um comentário no blog, ou ainda pelo Facebook.  Ou venha nos ver pessoalmente em um dos mutirões de fim de semana. Ou então, procure por um de nós quando estiver passeando pela praça: todo dia alguém dá uma passadinha para cuidar da horta.

Como vocês fazem para manter as coisas sob controle?

Temos algumas regrinhas de boa convivência:

  • A horta é aberta ao público todo o tempo. Ao visitar é preciso ter cuidado para não danificar os canteiros ou pisotear as mudas.
  • O local tem vários olhos d’água. Em alguns pontos afunda-se uns 50 cm na lama. Cuidado e, se possível, peça orientações para pessoas familiarizadas com o terreno.
  • As ferramentas que lá estão foram emprestadas por voluntários para o uso em mutirões. Favor não mexer.
  • Como estamos cultivando alimentos, é importante que os cães fiquem do lado de fora da cerca.
  • Não temos autorização da prefeitura para plantar árvores no local. Cultivaremos por enquanto apenas hortaliças. Agradecemos o oferecimento de mudas, mas pedimos que sejam encaminhadas a outros locais.
  • Por favor, não plante mudas por conta própria. Alguns canteiros estão reservados para projetos educacionais de escolas da região e precisamos planejar a ocupação do espaço.
  • Caso tenha vontade de participar dos plantios, entre em contato conosco por este blog, pelo e-mail, pelo grupo Horta das Corujas no Facebook ou durante os mutirões que acontecem regularmente.
  • E ajude a manter a área limpa da horta sempre limpa.

Pode plantar em praça pública?

É preciso de uma autorização dos órgãos competentes locais para se plantar em praça pública. No caso da Horta das Corujas, recebemos a autorização da Subprefeitura de Pinheiros. Também estamos buscando o apoio da Secretaria do Verde e Meio Ambiente e do Centro de Zoonoses do município.

Quem está cuidando da horta?

Voluntários, principalmente moradores da Vila Madalena, Vila Beatriz e Alto de Pinheiros, que montaram uma escala para visitar e regar a horta durante a semana e trabalhar em mutirões aos fins de semana. Todos os interessados com disponibilidade para trabalhar são bem-vindos.

Que água está sendo usada para regar? Ela é boa?

Estamos usando a água que brota no próprio local. Trata-se de uma nascente, independente do córrego das Corujas (que apesar de fazer parte do Projeto Córrego Limpo, da Sabesp, e ser limpa, não tem qualidade adequada para a rega de hortaliças). Cavamos uma cacimba (cova aberta em terreno úmido ou pantanoso, para recolher a água presente no solo que nela se acumula por ressumação), que se enche naturalmente da água subterrânea. De acordo com a Cetesb, essa água “enquadra-se nos limites bacteriológicos estabelecidos pela Resolução CONAMA n. 357/2005 para águas de classe 1, destinadas a irrigação de hortaliças que são consumidas cruas e de frutas que se desenvolvem rente ao solo e que sejam ingeridas cruas sem remoção de película (menor ou igual a 120 E. coli por 100 ml)”. Veja mais sobre a água, aqui.

Como é o solo onde está sendo plantada? É bom?

De acordo com a Cetesb, a área da praça não é contaminada e conhecemos o histórico do local (um belo relato aqui). Ainda assim optamos por plantar em canteiros elevados, usando sobretudo terra (não contaminada) doada pela Subprefeitura de Pinheiros e composto orgânico de procedência conhecida (da composteira da praça, das casas dos voluntários, etc.). Não estamos plantando diretamente no solo pois ele está compactado e sem os nutrientes necessários para o desenvolvimento das plantas.

Trata-se de uma horta orgânica?

Procuramos seguir os preceitos da agricultura orgânica, porém apesar de não usarmos agrotóxicos, adubos químicos e nenhum aditivo que não seja orgânico, ainda não podemos chamar a Horta das Corujas de orgânica. Isso porque o processo de certificação orgânica é complicado e cheio de exigências. Porém, gostamos de chamá-la de sustentável e de educativa.

Qualquer um pode vir colher?

Sim. Acreditamos que todos que contribuem de alguma forma podem e devem colher os frutos. Também pretendemos destinar a colheita a uma entidade assistencial ou à merenda escolar.

Posso ajudar? Como? Quando?

Claro! Veja aqui como e quando.

Tem perigo de encher de bichos e mosquitos?

Não. A cacimba de água está bem coberta com tela fina, impedindo a entrada de insetos. A composteira só recebe folhas e restos de poda da praça, além de um pouco de esterco, que fica devidamente coberto. Esses materiais orgânicos, quando bem monitorados, não atraem bichos.

De onde vem o dinheiro do projeto?

Praticamente não há dinheiro envolvido no projeto. Grande parte dos materiais utilizados são doações (a terra foi doada pela Subprefeitura, as estacas da cerca pela CET, os pallets pelo Movimento Boa Praça…). Recebemos mudas de vizinhos e amigos, fazemos o composto orgânico na própria praça e nas casas dos voluntários, levamos objetos que não nos servem mais para ganhar um segundo uso na horta (baldes, pás, cestas, pedaços de madeira…). Quando precisamos mesmo de fazer uma compra maior, passamos o chapéu entre os simpatizantes do trabalho. É o caso da tela de mangueirão utilizada para a cerca, por exemplo.

Anúncios

4 respostas para Perguntas Frequentes

  1. Fiquei felicíssima ao encontrá-los, pois queria saber se vocês podem me ceder uma muda de peixinho de horta. Estou procurando essa hortaliça há muito tempo. Sou adepta de comida saudável, sem agrotóxicos. Gosto de ingerir alimentos não convencionais. Quando marcarmos nosso encontro, levarei para vocês batata de cará moela. Obrigado pela atenção! Prefiro ir aí (é claro, se o contato for autorizado), no começo de dezembro.

  2. Angelita Almeida disse:

    Adorei o projeto!!! Tomara que mais pessoas possam se conscientizar da importância das hortas urbanas.
    Gostaria de saber se vcs enviam sementes, no caso de capuchinha, para que eu posso plantar na minha casa?

    Obrigada,

    Angelita Almeida

  3. Abigail Q. Pereira disse:

    Amo o que vocês fazem e sigo os seus exemplos. Estou atrás de uma muda de peixinho de horta (que por sinal faz parte da minha infância), e não consegui nem a semente e nem uma mudinha… Vocês poderiam me dar uma? Abraços e parabéns! Abigail

  4. Abigail Q.P. disse:

    Por favor, estou atrás da planta peixinho de horta há anos… Embora eu tenha passado dos sessenta, ainda me lembro de minha mãe fritando essa hortaliça espontânea!!! Eu queria ganhar uma muda dessa plantinha e eu sei que existe na horta de vocês. Como faço para ir buscá-la?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s